10/09/13

Expomusic e Rock and Rio


Olá amigos, este ano de 2013, não estarei presente na Expomusic. Viajo amanhã para trabalhar no Rock ´n´Rio e só volto dia 23 de setembro. Sim, uma pena! A Expo é a única oportunidade de encontrar muita gente no ano todo. Não faltarão outras oportunidades.
Ficarei sem tempo para responder emails e mensagens, mas prometo regularizar na volta. Qualquer assunto referente a escola, falem com a galera: Marcio, Saulo, Rafael ou Marina.
Valew a todos!

03/06/13

Prioridade e Dependência

Não tenho bola de cristal, seja digital ou analógica...nem desconfiômetro. Mas alguns acontecimentos recentes me fizeram refletir e escrever esse texto.
Eu sou uma pessoa e sobretudo, um profissional que não gosta da dependência. Aliás, tem quem goste disso. Ou quem não se deu conta. Tanto faz...comigo, isso não funciona.
Tenho muitos parceiros no mercado musical. Mas nenhum tipo de comprometimento contratual ou obrigatoriedade moral com os mesmos. Algumas empresas são solícitas ao extremo e me atendem imediatamente. Não importam as circunstâncias. Param tudo e me atendem prontamente. Motivo pela qual sou grato de maneira vitalícia e retribuo da mesma forma: não tem tempo ruim para a recíproca!
Mas nem tudo é assim. E não tem problema algum! O conceito de prioridade é diferente para cada pessoa, para cada profissional e depende da situação. Como disse antes, tenho inúmeros parceiros e colaboro o máximo que posso quando sou solicitado. E honestamente, não espero qualquer tipo de recompensa ou favorecimento. 
Já tive como parceiros muitas empresas TOP de mercado e não tive um mínimo de retribuição ou reciprocidade. Ou seja, quando precisei de algo, tive que recorrer a "meios" diferentes. E aprendi a não ser dependente da gratidão alheia.
Recentemente, fiz cotações e sondagens a respeito de um equipamento. Num primeiro momento, costumo fazer o usual - recorro aos amigos, parceiros e conhecidos. Mas nenhum dos citados poderiam me atender prontamente.  Os mesmos estão com muitas encomendas, correria, prazos alongados e falta de tempo. Bom para eles! É o melhor sintoma da qualidade adquirida pelos serviços requeridos. 
E sem problemas para mim. Logicamente, bati na porta de terceiros não conhecidos. E consegui resolver minhas necessidades. Simples não? E para mim é o que importa.
É o que falei a respeito de prioridade e dependência. 
O engraçado é que depois dos fatos muitos me procurarão: "poxa, a gente poderia ter feito isso para você". "Estávamos acabando aqui para poder atendê-lo". "Poxa, fez com eles e não quis fazer conosco". Tudo besteira. Não vou deixar de ajudar quem quer que seja. Nem vou deixar de ser "menos" amigo por causa de algo assim.
Esse é o meu ideal de "não dependência" e entendo perfeitamente o que significa a prioridade de momento. E de boa...ultimamente tem sido mais prático recorrer a terceiros. Assim, não incomodo ninguém e tenho meu objetivo alcançado em curto prazo.

30/04/13

George Lynch Guitar Clinic! 30 de abril 2013 - april,30, 2013

Totalmente inesperado...Nem pensei que minha terça feira de folga terminaria num bate papo infomal com Mr Scary, mais conhecido como George Lynch - guitarrista de bandas como Lynch Mob, Lynch Pilson, Souls of We, T&N e obviamente Dokken! Um cara que influenciou gerações e gerações de amantes das cordas!
O workshop de Lynch foi realizado na EM&T com a iniciativa da Randall do Brasil. A galera comentou que ele estava bastante cansado no primeiro dia...Provavelmente o cansaço da viagem e o "rolê" pela Teodoro Sampaio devem ter sido extenuante! Fui no segundo dia e conversar com ele foi bem legals. Esperei o término do soundcheck e ficamos cerca de meia hora conversando.
Aqui as fotos da passagem de som:
O workshop foi basicamente playbacks e George mandando bala nos fraseados. Pausa para breves comentários, perguntas e no final...uma JAM com alunos para tocar Mr Scary e Tooth and Nail do Dokken!
Fotos do equipamento: amps
Guitars
 ESP Tiger
 ESP teleca
 Pedalboard
E eu...obviamente com a famosa Tiger...que aliás...tive que guardar no soft bag e ajudar a tirar a pedaleira do palco....enfim...uma vez guitar tech...sempre guitar tech!
Nem precisa dizer o quanto foi bom revê-lo...e vê-lo tocar! E conversar com um dos guitarristas que muito me influenciou! Lynch Rulez!

18/04/13

Down - São Paulo - Carioca Club 10 abril 2013

Diversão, amizade e barulheira. É o resultado quando cinco amigos resolvem montar um projeto paralelo as bandas que tocam. E não é que o famigerado “plano B que virou plano A” se tornou a tônica desses caras: Phil Anselmo (Pantera) nos vocais, Pat Bruders (Crowbar) no baixo, Jim Bower (Eyehategod) na bateria e os guitarristas: Kirk Windstein (Crowbar) e Pepper Keenan (Corrosion of Conformity). Com a casa lotada, o supergrupo adentrou o palco com apenas poucos minutos de atraso.
A banda mandou petardos com afinações baixas, ritmos arrastados e vocais urrados no melhor estilo criado pelo próprio Phil Anselmo.  O guitarrista Pepper Keenan utilizou na maioria das músicas sua surrada Gibson ES 335 “ Biff Lord” plugada nos seguintes efeitos: Electro Harmonix POG Electro Harmonix Big Muff, Electro Harmonix Holy Grail, Electro Harmonix Small Stone, Ibanez TS-9 Tube Screamer, MXR Phase 90, MXR Stereo Flanger, MXR 10 band Equalizer, T-Rex Delay, Boss OD-1e afinador Korg. Os amplificadores eram Marshall JCM 800 e gabinetes 4 x 12. Em algumas canções, Pepper utilizou uma Gibson Firebird Custom Shop. 
Já o guitarrista Kirk Windstein quase não abandonou sua Gibson Explorer branca que não deu chances para as ESP Viper Custom Shop. Os efeitos eram da Maxon e os amplificadores Marshall JCM 800 e caixas Marshall 1960. Em termos de sonorização ao vivo, as guitarras estavam muito altas e um pouco emboladas para audição. Os dois guitarristas revezam bases, linhas melódicas e solos. Pepper Keenan é o que mais faz solos complicados com fraseados de muito bom gosto, salto de notas e vibratos peculiares. Kirk cuida das linhas melódicas e faz os solos pentatônicos em alta velocidade. Mas tive dificuldade de escutá-lo na maioria das músicas. A dupla mantém as bases com afinações baixas muito coesas e com acentuações sincronizadas de forma milimétricas. Nas músicas mais arrastadas, o peso é descomunal! E como de praxe, no final do show, a banda costuma entregar os instrumentos para os roadies finalizarem, enquanto a banda confraterniza com a galera. Mas desta feita, em vez dos técnicos – Andreas Kisser, Paulo Jr, Yohann Kisser e Eloy Casagrande, foram incumbidos de tal tarefa. Um showzaço de amigos com clima de jam session e guitarras matadoras. 
Agradecimentos especiais a Free Pass Entretenimento & Heloisa Vidal pelo credenciamento e atenção dispensadas a nossa equipe. PICS by L. Willenorf.
Set List:
1) Lysergic Funeral Possession
2) Pillars of Eternity
3) Lifer
4) Witchtripper
5) Misfortune Teller
6) Temptations Wings
7) Ghosts Along The Mississipi
8) Losing All
9) New Orleans is a Dying Whore
10) Open Coffins
11) Eyes of The South
12) Hail The Leaf
13) Stone The Crow
14) Bury My In Smoke